31 de janeiro de 2012

Dicas de redação: onde, aonde e donde

Dando continuidade a nossas postagens voltadas para estudantes e vestibulandos, após um largo intervalo, iremos discutir um pouco sobre pequenas curiosidades da produção textual. Embora se aplique a todas as situações de uso da língua portuguesa, nossa discussão se preocupa mais de perto com a produção escrita. Dessa vez, falaremos de uma pequena dúvida, que, embora pareça muito simples, sempre vê muita gente cometendo enganos em sua aplicação. Trata-se do uso de onde, aonde e donde. Depois de explicadas as diferenças básicas entre as três formas, ofereceremos um quiz, em que você poderá testar o seu nível de acerto no uso das palavrinhas citadas. Vamos lá!

ONDE:  em termos formais, essa palavrinha, tradicionalmente, é classificada como advérbio de lugar, advérbio interrogativo, ou pronome relativo.

Vejamos um exemplo de cada:

Onde eu moro não mora ninguém. (advérbio de lugar)
Note que nessa frase onde indica lugar, e se liga pelo sentido ao verbo morar, “morar onde”
(esse tipo de caso é bastante discutido pelos gramáticos, mas iremos nos abster de fazer essa discussão, em vista do nosso objetivo);

Onde você mora? (advérbio interrogativo)
Nesse outro caso, podemos dizer complementarmente que onde é usado com uma função interrogativa, para perguntar;

Moro na cidade onde o sol brilha mais. (pronome relativo)
Aqui, onde se relaciona com os verbos da frase, mas neste caso retoma a expressão na cidade, justificando, portanto, sua definição como relativo; se você destacar apenas a oração “onde o sol brilha mais” verá claramente que o onde pode ser trocado por na cidade;

Independente da classificação, nos três casos onde faz referência a lugar. Ou seja, em qualquer situação, esse é sempre o seu sentido básico.

AONDE: com relação a essa palavra, podemos dizer que a diferença que ela apresenta, se cotejada com o caso anterior, é o fato de receber o acréscimo da preposição a. Esse a é oriundo da transitividade dos verbos com que a palavra onde se relaciona. Sempre são verbos que indicam movimento, deslocamento de um lugar no espaço para outro, como ir, dirigir-se, chegar, etc.

Ex.: Retornou aonde não havia ninguém.

Suponhamos que alguém se deslocou para um passeio na praia e posteriormente um colega lhe pergunta o seguinte:

a-    Onde você foi?

       Ou

b-    Aonde você foi?

Intuitivamente, você saberá que as respostas a cada pergunta serão diferentes.

Para a pergunta a, você poderia responder “Fui no assento do cobrador ”;
Já para a pergunta b caberia a resposta “Fui a Jericoacoara”.

Embora em todos os casos haja referência a lugar, apenas na segunda frase cabe um esclarecimento sobre o destino da viagem. No primeiro caso, o esclarecimento requisitado é quanto ao local em que a pessoa se acomodou durante o deslocamento até Jericoacoara, no caso, o “assento do cobrador”. Um efeito de sentido também possível aí é o da superlotação do veículo.

A única diferença formal entre as duas frases é o acréscimo do a na segunda frase, o que nos leva a concluir que não é totalmente seguro nos guiar pelo verbo em questão e sua transitividade, visto que nesses casos o verbo é sempre o mesmo: foi (ir). Isso ocorre porque um mesmo verbo pode aceitar vários complementos diferentes.

DONDE: Esse caso é semelhante ao anterior, com a diferença de que em vez de haver apenas uma combinação da preposição de com onde, ocorre uma contração, com a queda do e átono da preposição, resultando na forma donde. Também faz referência básica a deslocamento no espaço, mas indicando procedência.

Ex.: Donde você vem?

Desmembrando, teríamos “de onde você vem?”

Um uso muito comum e pouco apropriado é o da forma onde sem referência a lugar, o que em qualquer circunstância deve ser o seu uso normal.

Ex.: *Onde se conclui...
        *No exato instante onde todos se aglomeravam, ouvi o barulho.

Esse tipo de uso deve ser evitado.

p.s: advertimos que essas orientações também se aplicam à linguagem figurativa, mas esse terreno é bastante complexo e não faremos, a respeito, maiores esclarecimentos.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
4 Comentários
Comentários

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Lemarc, prazer em conhecer seu espaço!

Seguindo o blog da Lygia Maria, ... http://paraescreverbem.blogspot.com/, que localizei vc, e achei muito interessante.
Quer mais elogios? texto simples e direto, tanto quanto bonito, criativo e chamativo este blog, jeitão de educador!!!
Será mais um para meu Blogroll, iniciante que sou neste universo virtual, por favor, não deixe de conferir:
http://abntmonografiasteses.wordpress.com

Super abraço, muita saúde e sucesso!

Até mais!

Regina

Lemarc disse...

Olá, Regina,

Muito obrigado pela visita, e, claro, pelos comentários elogiosos. Pode ter certeza que vou dar uma passadinha no seu espaço, pra conferir seu trabalho.

Abraço e tudo de bom pra você!

Lemarc

Analy Sanches disse...

Olá Lemarc. Muito bom o blog, como pode ver fiz o quiz acima e realmente é mais complicado do que esperava. Parabéns pelo blog! Sucesso!
Analy

Lemarc disse...

Olá, Analy!

Seja muito bem-vinda. É um prazer tê-la conosco. Se precisar de algum esclarecimento adicional sobre essas questões, disponha. Será sempre um prazer trocar ideias.

Abraço!

Lemarc

Postar um comentário